Fundada em 1998, responsável por trabalhos na área de distribuição de materiais de construção, reabilitação e manutenção de edifícios…

PARABÉNS MUNDIMAT!

 

A AzimuthPrecision junta-se neste dia 2 de Junho de 2018 à família Mundimat para a dinamização de uma pequena aventura onde como para qualquer sucesso, as palavras “cooperação e entreajuda” vão estar em grande foco.


 

O VOSSO GUIA DA AVENTURA ON-LINE:

UM POUCO DE HISTÓRIA A ocupação desta serra remota à época pré-histórica, mais precisamente, ao período Neolítico, de acordo com várias descobertas arqueológicas feitas até hoje. Diversos estudos associam o ano 310 a.C à constituição de um povoado na zona histórico de Palmela. Este povoado foi fortificado em 106, de acordo com a romanização que estava a ser feita na península Ibérica. Estes relatos foram feitos por um pretor da Lusitânia, com o nome de Áulio Cornélio. Os mais recentes estudos arquelógicos apontam por uma ocupação continua desta serra deste então. Ao todo Palmela foi residência para Lusitanos, Visigodos, Muçulmanos e Romanos. No entanto, foram os Muçulmanos que, começaram a edificar a sua fortificação entre o século VIII e IX. No século X e XII o castelo seria alvo de mais obras com vista à sua ampliação.

PARQUE VENÂNCIO RIBEIRO DA COSTA O parque foi criado no início do século XX entre o Castelo de Palmela e o centro histórico da cidade. O iniciador foi o presidente da Câmara Municipal Joaquim José de Carvalho , que queria melhorar a vida da cidade e – como as florestas de Sintra e Buçaco – queria criar um destino para os turistas. O parque foi rapidamente adotado pela população. Mais tarde, recebeu o nome do farmacêutico Venâncio Ribeiro da Costa († 1930), um grande benfeitor da cidade.

FLORA Esta zona da Arrábida possui uma vegetação de extraordinária importância evolutiva e biogeográfica. A sua diversidade botânica prende-se, entre outros fatores, com o relevo acidentado, que proporciona microclimas diferenciados e uma característica peculiar, o chamado efeito de mosaico: pequenas superfícies de cada formação vegetal. São floras marcadamente atlânticas e mediterrânicas. Os matos são formações de elevado valor botânico, variedade de cores e aromas, sendo algumas das espécies presentes (alecrim, tomilho, rosmaninho, alfazema, pascoínhas, folhado, urze), exemplos representativos da flora aromática mediterrânica.

FAUNA Estão registadas 213 espécies de vertebrados, entre as quais 8 anfíbios, 16 répteis, 154 aves e 35 mamíferos. Nos mamíferos ainda se pode encontrar a raposa (Vulpes vulpes), o gato-bravo (Felis silvestris), a doninha (Mustela nivalis), o saca-rabos (Herpestes ichneumon), o texugo (Meles meles), o toirão (Mustela putorius), a fuínha (Martes foina), a toupeira (Talpa occidentalis), o mordanho (Suncus etruscus) e o gineto (Genetta genetta).Algumas das aves que se podem encontrar no Parque Natural da Arrábida são, por exemplo, a Águia de Bonelli (Hieraaetus fasciatus), que tem nesta região o único local de nidificação na costa portuguesa, o Bufo-real (Bubo bubo), o Falcão-peregrino (Falco peregrinus), o Peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus), o melro-azul (Monticola solitarius), o andorinhão-preto (Apus apus), o guarda-rios (Alcedo atthis) e o abelharuco (Merops apiaster). Espécies da fauna incluídas no Anexo II da Directiva 92/43/CEE: Lontra (Lutra lutra), o Cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa,) Barbastella barbastellus e Euphydryas aurinia.

História do Castelo de Palmela
Mapa do Castelo

  • RICARDO (Guia): +351 969 001 773
  • SEPNA PALMELA: +351 212 336 600
  • GNR PALMELA: +351 217 657 640
  • BOMBEIROS PALMELA: +351 212 336 810
  • Ponto de chegada: Mapa